Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

China pretende fazer pouso tripulado na Lua até 2030


A China está se preparando para realizar sua ambição de enviar astronautas à Lua antes do final desta década. Em uma coletiva de imprensa no Porto Espacial de Jiuquan, a Administração de Desenvolvimento de Espaçonaves Tripuladas da China (CMSEO) apresentou um raro vislumbre de um futuro programa lunar tripulado.

Dois programas, um objetivo

O programa Artemis, liderado pela NASA, pretende enviar astronautas à Lua até o final da década, com o objetivo final de estabelecer uma presença humana permanente em sua superfície. O programa Artemis também planeja criar um portal lunar, conhecido como Gateway, que servirá como ponto de partida para voos para a Lua e além, incluindo Marte.

Mesmo que o cronograma original tenha sido adiado, a NASA ainda pretende atingir seus objetivos lunares nos próximos anos. A missão Artemis-3, oficialmente programada para 2025, está atualmente planejada como o primeiro voo tripulado sob este programa.

No entanto, os Estados Unidos não são o único país que mira a Lua. A China também está perseguindo suas próprias ambições, implementando um programa lunar tripulado semelhante. E este projeto está claramente indo de acordo com o planejado.

Os principais elementos deste programa, incluindo o foguete Changzheng-10, a espaçonave tripulada Mengzhou, o rover Lanyue e os trajes de pouso lunar, foram concluídos e já estão em fase de testes.

Ao mesmo tempo, o trabalho está em andamento para construir uma nova plataforma de lançamento para missões lunares tripuladas em Wenchang, na ilha de Hainan.

Por fim, o treinamento de cosmonautas para a missão é intensificado. Inclui a prática de ações em condições normais e de emergência, bem como a simulação de encontros e acoplamentos em órbita lunar. Além disso, os astronautas treinam para realizar trabalhos científicos na superfície lunar simulada, como perfuração e amostragem.

De acordo com as autoridades chinesas, a meta de pousar na Lua até 2030 parece bastante alcançável.

Arquitetura da Missão

Em detalhes, a missão chinesa prevê o lançamento de dois foguetes Changzheng-10, cada um dos quais transportará a espaçonave Mengzhou com três astronautas, bem como o módulo de pouso Lanyue. Depois de entrar na órbita lunar, as duas espaçonaves se conectarão e descerão juntas até a superfície da Lua. Os dois astronautas passarão seis horas na Lua realizando vários experimentos e coletando amostras, após o que se juntarão ao colega na órbita lunar para uma viagem de retorno à Terra.

Vale lembrar que a missão não se limita a pousar na Lua e coletar amostras. Os responsáveis também apelaram ao público com uma proposta para desenvolver um rover lunar tripulado e uma carga útil científica. Essa abertura à participação pública reflete o desejo da China de envolver a sociedade em seus esforços de exploração espacial.